Seja bem vindo ao "Blog do Borjão"

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

CITAÇÃO DO DIA

“Não devemos ter medo dos confrontos... até os planetas se chocam e do caos nascem as estrelas.”   (SIR CHARLIE CHAPLIN)

CHARGE DO DIA


RAPIDINHAS DO BLOG...

BRASIL CAI 6 POSIÇÕES NO RANKING DE COMPETITIVIDADE
O Brasil caiu seis posições de 2015 para 2016 e registrou sua marca mais baixa no ranking de competitividade do Fórum Econômico Mundial - que no Brasil é elaborado em parceria com a Fundação Dom Cabral (FDC). O País ficou em 81º lugar na atual edição, dentre os 138 pesquisados, o pior desempenho desde a mudança de metodologia, que começou a valer em 1998. Segundo a FDC, a queda do Brasil no ranking reflete sinais claros da forte crise econômica e declínio da produtividade vividos pelo País, resultando em menor sofisticação dos negócios e baixo grau de inovação. De acordo com o relatório, os principais fatores por trás dessa tendência de perda de competitividade brasileira são aqueles ligados à atual conjuntura política, mas também dados relacionados a questões estruturais e sistêmicas. "Fatores da conjuntura presente, como a crise econômica e política que vem se deteriorando desde 2014, estão associados a fatores estruturais e sistêmicos, como sistema regulatório e tributário inadequado, infraestrutura deficiente e baixa produtividade, que resultam em uma economia fragilizada e incapaz de promover avanços na competitividade interna e internacional sem maior inserção no mercado mundial", afirma o texto. Dos 12 pilares estudados, o Brasil caiu em seis deles. A maior queda foi em "Desenvolvimento do mercado financeiro", saindo do 58º lugar em 2015 para a 93ª posição em 2016.

'COMIDA DE VERDADE' FAZ BEM AO CORAÇÃO
Que tal em vez de trabalhar com grupos alimentares e porções recomendadas, utilizar os produtos frescos (frutas, carnes, legumes e ovos) ou minimamente processados (arroz, feijão e frutas secas) como base das refeições? Essa é a proposta que foi lançada na semana passada aos cardiologistas pelo professor da Faculdade de Saúde Pública da USP, Carlos Monteiro, que foi coordenador técnico do Guia Alimentar para a População Brasileira, do Ministério da Saúde e a chef e apresentadora do canal GNT Rita Lobo.
FÓRUM DE IDEIAS
O professor e a chef participaram do "Fórum de Ideias" do Congresso Brasileiro de Cardiologia. O debate foi coordenado pelo presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), Marcus Malachias para quem ainda persiste "uma lenda de que comida saudável é sem graça". A ideia é justamente desmistificar esse conceito e sugerir aos cardiologistas dicas que estão no programa "Comida de Verdade" e no Guia Alimentar. Pela primeira vez, o congresso da especialidade discutiu aspectos multidisciplinares que interferem na saúde cardiovascular. Além da alimentação saudável, foram apresentados temas a exemplo de desenvolvimento de novas lideranças em cardiologia, espiritualidade, quase morte e comunicação e alimentação.
O QUE EVITAR
Segundo a SBC, 40% da população adulta, no Brasil, tem colesterol elevado. São 57 milhões de pessoas que, potencialmente, podem ter um infarto ou Acidente Vascular Cerebral (AVC). As gorduras, principalmente as saturadas (presentes em alimentos de origem animal) e as gorduras trans (encontradas em itens industrializados), contribuem para a elevação do colesterol. Uma dieta rica em frutas, verduras, legumes e grãos evita o aumento do colesterol. Dr. Malachias também pontua que, juntamente à dieta balanceada, seja observada a prática de exercícios físicos, assim como evitar o fumo e o estresse.
MULTIDISCIPLINAR
A Experiência de Quase Morte (EQM) foi outro tema abordado pela primeira vez em um congresso de cardiologia. O assunto espiritualidade tem crescido entre os médicos e faz parte da grade curricular de quase todas as faculdades de medicina dos EUA, mas no Brasil ainda é pouco difundido. O evento EQM acontece em situações de parada cardíaca, derrame ou em procedimentos de anestesia ou cirurgia. "Os batimentos cardíacos param, o fluxo de sangue cerebral é interrompido e o cérebro deixa de produzir atividade elétrica. A pessoa está 'morta' até ser reanimada pelos médicos", explica o cardiologista do Grupo de Estudos em Espiritualidade e Medicina Cardiovascular da SBC, Mário Borba.
SAIBA MAIS
·        Comer bem não é sinônimo de fazer regime, contando calorias e restringindo grupos alimentares;
·       Saber cozinhar é essencial para uma alimentação saudável. Ao mesmo tempo em que você ganha intimidade com os ingredientes, conquista autonomia;
·    Respeitar o momento da refeição e comer à mesa, sem distrações, é fundamental na educação alimentar dos pequenos;
·        Evitar desperdício, variar o sabor e dimensionar a lista de compras é um bom começo.

ATUALIZAÇÃO DO CHROME PARA ANDROID ECONOMIZA DADOS E PERMITE VER SITES OFFLINE
O Google anunciou nesta semana uma nova atualização do Chrome para Android que traz uma série de benefícios para usuários que não usam internet constantemente. A versão reduz em até 90% o consumo de dados e permite que as pessoas baixem sites para que eles se tornem acessíveis mesmo sem internet. Para conseguir chegar ao resultado final, a equipe do Chrome melhorou o Data Saver do navegador. O recurso otimiza páginas HTTP durante períodos de baixa conectividade, baixando apenas as partes mais importantes do endereço virtual. Outra melhoria feita é com relação aos vídeos MP4, que passarão por um processo de compressão que reduz seu tamanho em 67%. Para acessar páginas, vídeos ou músicas offline, o usuário deve fazer um download do arquivo clicando em um botão na barra de navegação. Caso a conexão seja perdida durante o processo, ele é retomado do ponto onde parou, sem que seja necessário qualquer comando. O Google ainda vai trazer um recurso para ajudar o usuário a descobrir novos sites interessantes. Ao abrir uma nova aba, o internauta verá sugestão de sites recém visitados e, caso deslize a tela para baixo, verá cards com sugestões de artigos e matérias. Segundo o The Verge, alguns recursos já estão disponível para teste para usuários da versão beta do Chrome. Para os demais, a atualização deve começar a funcionar a partir de outubro.  

RIVISTA DO MINO


Hermínio Macêdo Castelo Branco (Mino) é cearense, natural de Fortaleza. Filho de Francisca Macêdo e Raimundo Castelo Branco, nasceu no dia 3 de maio de 1944. Formado em Direito pela UFC (inscrito na OAB), a lista de suas atribuições é extensa: desenhista, artista plástico, cartunista, programador visual, projetista gráfico, poeta bissexto, livre pensador, autor de histórias, fábulas e contos infantis, ilustrador e publicitário. Trabalhando em agências de publicidade e colaborando com quase todos os jornais de Fortaleza, passou vários anos dedicado ao trabalho de criação de marcas, programação visual e projetos gráficos. Edita sua própria publicação mensal "RIVISTA", distribuída através da editora "RISO" (de sua propriedade) para vários colégios no Ceará. RIVISTA contém toda a diversificação de seu trabalho: fábulas, contos, frases, pensamentos, artigos, poesias, ilustrações e cartuns. O "Blog do Borjão" em homenagem ao Mino disponibiliza às 5ª feiras o tópico "RIVISTA DO MINO".

SAÚDE NO BLOG

A RESPOSTA SEXUAL NOS IDOSOS

"A vida sexual transforma-se constantemente ao longo de toda a evolução individual, porém só desaparece com a morte." (Mira y López)

Masters e Johnson, através de suas pesquisas, reconheceram que não há limite de, idade para a prática do comportamento sexual. Podemos dizer que Freud está para a sexualidade infantil como os pesquisadores citados estão para a sexualidade dos idosos.
Considerando a resposta sexual humana como trifásica desejo, excitação e orgasmo, passamos então a discutir o que aconteceria na mulher idosa e no homem idoso. É bom lembrar o que nos diz Kinsey: "Não existe senso comum a respeito do sexo", ainda mais com os indivíduos geriátricos. Em linhas gerais, notamos que se dá uma perda na quantidade desta resposta; entretanto, podemos observar melhora na qualidade. É a velha história: em toda perda há um ganho.
Com relação à mulher idosa, a nível de desejo, notam-se respostas bastante divergentes. Desde a ausência do desejo, até uma exacerbação da libido. Estes fenômenos levam-nos a pensar na presença de uma moral sexual interpondo-se à função biológica, que deveria estar preservada.
Na fase de excitação, observa-se qualitativamente a mesma resposta sexual do jovem, porém uma diminuição quantitativa dos fenômenos, como, por exemplo, do rubor, do aumento do clitóris e pequenos lábios e a lubrificação vaginal, começa mais lentamente e é menos acentuada. Associando-se ao menor trofismo vaginal, "espessura do tecido", em que as paredes vaginais afinam, tornando-se menos elásticas, o processo excitatório poderá vir acompanhado algumas vezes de dor à relação sexual (dispareunia). Nestes casos, a simples reposição estrogênica, sob a forma de medicação oral e tópica, melhorando o trofismo vaginal, resolveria a situação.
A fase orgásmica da mulher idosa mostra contrações rítmicas da vagina, porém em menor número. As contrações retais ocorrem menos frequentemente.
É certo que a atividade sexual pode continuar por longo tempo após a menopausa, sem dificuldade mecânica ou secura vaginal e, frequentemente, dispensando a hormônio terapia, desde que seja mantida uma regularidade no relacionamento sexual. É na ausência de uma atividade sexual regular que vão aparecer os distúrbios tróficos, impedindo os contatos posteriores e desencadeando distúrbios psicossexuais (J. Vegue).
Com relação ao homem idoso, vamos também observar que a fisiologia do desejo sexual nestes indivíduos não está bem esclarecida, podendo apresentar desde a inapetência sexual até o aumento do desejo. Porém, na maioria das vezes, este desejo se encontra diminuído.
A fase de excitação, que tem como expressão maior o fenômeno da ereção peniana, mostra que estas ereções tendem a ocorrer mais lentamente que a do homem jovem, tendo um período de detumescência (perda de ereção), porém mais tardio.
No período orgásmico, a ejaculação acontece num só tempo, com pronunciada diminuição da fase de inevitabilidade ejaculatória. O ejaculado sofre redução na quantidade e é expelido sob pressão menor.
No homem, diferentemente da mulher, existe um período subsequente ao orgasmo que é o período refratário, onde o homem não é capaz de vir a apresentar uma resposta sexual completa, apesar da presença do estímulo sexual. Nesse caso, na maioria das vezes ele não apresenta uma ereção ou, se esta estiver presente, não virá acompanhada de ejaculação. Este período refratário é bem maior no homem idoso. Pode durar minutos, horas ou dias. Observa-se que, quanto maior a atividade sexual do adulto, menor seria seu período refratário na velhice.
Em resumo, pode-se afirmar que a resposta sexual humana se torna mais lenta com a idade, mas nunca desaparece por completo.

Fonte: Gerson López - Sexualidade Humana - 2ª Ed. – Capítulo 03 - A Sexualidade e a Terceira Idade. Copyright © Bibliomed, Inc. 03 de Junho de 2004. Revisado em 11 de junho de 2013. 

CIRCULA NA INTERNET

EM UMA CLINICA ODONTOLÓGICA BEM PERTO DE VOCÊ...

IMAGEM DO DIA

Uma belíssima imagem na Praia de Guajiru - CE - Brasil que é bastante tranquila, mas com seus recifes, dunas e currais de peixes e fica entre as melhores praias do Ceará, já que é um ótimo ambiente para descansar e relaxar durante seu passeio entre as demais praias da região.

PIADA DO BLOG

O EXAME DO VELHINHO
Um velhinho precisou fazer um exame de contagem de esperma. O médico deu a ele um potinho e disse: 
- Leve isso e me traga de volta amanhã, com uma amostra de esperma.
No dia seguinte, o velho voltou ao consultório e devolveu-lhe o pote, que estava vazio como no dia anterior. O médico perguntou o que aconteceu e o velho explicou:
- Bem, doutor, foi o seguinte… primeiro, eu tentei com a mão direita, e nada. Depois, tentei com a mão esquerda, e nada ainda. Daí, eu pedi ajuda à minha mulher. Ela tentou com a mão direita, com a esquerda, e nada. Tentou com a boca – primeiro com os dentes, e depois, sem eles, e nada. Nós chegamos a chamar a vizinha, e ela também tentou. Primeiro, com as duas mãos, depois, com o sovaco e, por último, espremendo entre os joelhos, e nada.
O médico, chocado:
-Vocês pediram ajuda à vizinha?
O velho respondeu:
- Foi. Mas nenhum de nós conseguiu abrir o potinho.

TEXTO DO BLOG

FILHOTE
por Luis Fernando Veríssimo*

No seu discurso de encerramento da Conferência Monetária e Financeira das Nações Unidas — realizada em Bretton Woods em julho de 1944 para combinar como seriam as relações comerciais depois da Segunda Guerra Mundial que chegava ao fim —, lorde John Maynard Keynes, um dos inspiradores e o principal participante do time inglês no encontro, disse que se a cooperação que as nações tinham demonstrado durante a conferência continuasse, “o pesadelo em que a maioria de nós passou tempo demais das suas vidas terá acabado”, e “a irmandade dos homens terá se transformado em mais do que apenas uma frase.”
A competição monetária e os conflitos e barreiras que tinham levado a duas guerras mundiais deixariam de existir. O otimismo declarado por lorde Keynes só se explica pelo seu cavalheirismo ou gosto pela retórica. Ele tinha sido derrotado na reunião que se encerrava. Em Bretton Woods, as boas intenções esconderam a questão real do encontro: a que Roosevelt já tinha proposto a Churchill quando condicionou a entrada dos Estados Unidos na guerra ao fim dos mercados cativos coloniais e do império econômico britânico, e a necessidade de garantir mercados livres para a produção americana que se multiplicaria com a mobilização para a guerra.
Enquanto Keynes acreditava que o Banco Mundial — insistência sua — realmente favoreceria a irmandade entre os homens, o secretário do Tesouro americano, Henry Morgenthau, mais interessado no Fundo Monetário Internacional, empenhava-se na mudança do centro financeiro do mundo de Londres para Washington e Wall Street.
O que venceu em Bretton Woods não foi o espírito público de Keynes, mas o espírito prático dos americanos. Morgenthau estava lá para sacramentar a transferência do poder econômico da Inglaterra para os Estados Unidos, a única nação que sairia da guerra em condições de impor sua vontade. E impôs. O discurso de Keynes prevendo que a cooperação entre as nações traria uma era de inédita prosperidade universal foi muito aplaudido, mas o resultado prático de Bretton Woods foi que os americanos ganharam acesso aos mercados antes dominados pelo desdentado império britânico, e a prosperidade universal que veio se concentrou principalmente nos Estados Unidos.
Keynes morreu pouco depois de Bretton Woods. A derrota da sua visão do que poderia ter sido, pela imposição americana, tem uma ponta de ingratidão: afinal, foi ele o teórico do dirigismo econômico de Roosevelt que salvou o capitalismo americano de si mesmo na crise dos anos 30. Filhotes do keynesianismo, como no Brasil do PT, tiveram a mesma sorte das boas intenções do lorde. O discurso foi bonito, mas ganhou o outro lado. E o pesadelo continua.

(*) Luis Fernando Veríssimo é escritor

INDICADORES DO BLOG

BOVESPA
A Bovespa fechou em alta na quarta-feira (28), com o avanço das ações da Petrobras no radar, em sessão marcada por recuperação nos preços do petróleo e pela notícia de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) alcançou um acordo para reduzir sua produção, segundo a imprensa internacional. O Ibovespa, principal indicador da bolsa, subiu 1,67%, a 59.355 pontos. Na semana, a bolsa brasileira tem alta de 1,12%. No mês de setembro, avança 2,5% e, no acumulado de 2016, sobe 36,9%.
ÍNDICES DA BM&FBOVESPA
ÍNDICE
VARIAÇÃO (%)
MÁXIMO (PTS)
MÍNIMO (PTS)
VARIAÇÃO (PTS)
TOTAL (PTS)
Ibovespa
+1,67%
59.415,41
58.353,48
+973,28
59.355,77
IBX
+1,60%
24.611,79
24.190,07
+387,64
24.584,39
IBX50
+1,65%
9.959,89
9.780,60
+161,44
9.948,64
IEE
+1,05%
37.324,92
36.806,66
+385,55
37.237,45
IGCX
+1,17%
9.114,60
8.987,33
+104,83
9.096,78
INDX
+1,60%
13.049,77
12.825,61
+205,33
13.028,77
ISE
+1,45%
2.526,97
2.486,21
+36,00
2.522,68
IVBX
+1,46%
8.943,09
8.794,21
+128,17
8.922,29
28/09/2016 18h40 | Thomson Reuters 

MOEDAS
MOEDA
COMPRA (R$)
VENDA (R$)
VAR (%)
Dólar Comercial
3,2148
3,2158
-0,47%
Euro
3,6097
3,6154
+0,10%
Libra
4,1893
4,1945
+0,08%
Peso Argentino
0,2095
0,2098
+0,05%
28/09/2016 18h39  | Thomson Reuters

INFLAÇÃO
ÍNDICE
MÊS
VALOR
IPCA
Ago.16
+0,44%
IPC-Fipe
Ago.16
+0,11%
IGP-M
Ago.16
+0,15%
INPC
Ago.16
+0,31%
05/09/2016 18h12 | Thomson Reuters 

JUROS E POUPANÇA
ÍNDICE
VARIAÇÃO (%)
Selic (ano)
14,25%
CDI (ano)
10,80%
TJLP - Taxa de juros de longo prazo (trimestre)
7,50%
TR - Taxa referencial (mês)
0,1524%
Poupança (mês)
0,653%
28/09/2016 18h39| Thomson Reuters
  
COMMODITIES
ÍNDICE
VARIAÇÃO (%)
VARIAÇÃO (PTS)
COTAÇÃO (US$)
Prata
+0,19%
+0,04
19,18
Platina
+0,32%
+3,25
1.025,49
Petróleo WTI
+1,07%
+1,01
95,25
Ouro
-0,45%
-5,91
1.321,23
Petróleo Brent
-1,40%
-0,59
41,55
Paládio
+1,79%
+12,50
710,50

28/09/2016 18h39 | Thomson Reuters

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

CITAÇÃO DO DIA

“Não entendo a tristeza como ausência de felicidade. Acho que elas coexistem. Somos felizes e tristes. Felizes porque tentamos entender a nossa missão. Tristes porque assim tem de ser. A tristeza nos empresta respeito ao outro e percepção mais aguçada da dor. Talvez tristeza seja ausência de alegria, de riso fácil, não de felicidade.”  (PADRE FÁBIO DE MELO)

CHARGE DO DIA


RAPIDINHAS DO BLOG...

REFORMA TRABALHISTA AINDA CARECE DE DISCUSSÃO MAIS PROFUNDA, DIZEM EMPRESÁRIOS
Apesar de considerarem que há consenso no setor privado sobre a necessidade de modernização da legislação trabalhista, presidentes de grandes companhias brasileiras avaliam que ainda existem pontos relevantes a serem discutidos e sem uma solução clara. Durante debate do Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças de São Paulo (Ibef-SP), os presidentes de Nextel, Natura, Swiss Re e Fibria avaliaram que temas como permitir negociação entre empresa e empregado e regulação pelo governo são demandas. Para o presidente da Nextel, Francisco Valim, a necessidade de uma regulação mais dura ainda existe num país onde o trabalho escravo não é uma realidade tão distante. "Saindo dos grandes centros, isso ainda é algo encontrado, o que significa que precisamos de algum nível de atuação governamental", ponderou. Para ele, o modelo de baixa intervenção estatal da economia dos Estados Unidos funciona melhor em situações de pleno emprego. Já na visão do presidente da Fibria, Marcelo Castelli, a legislação trabalhista, mesmo reformada, ainda precisaria manter um caráter regulatório. "Toda democracia moderna precisa ter agências reguladoras para evitar excessos", declarou. O executivo ainda destacou a necessidade de se discutir modelos mais contemporâneos de trabalho, que permitam que funcionários trabalhem de casa ou em horários não necessariamente rígidos. O presidente da Swiss Re Corporate Solutions, João Nogueira Batista, considera que a prioridade é permitir a negociação entre empresas e trabalhadores. "O Supremo Tribunal Federal tem tomado decisões nessa direção e, no mundo com o nível de informação que temos, a livre negociação deve predominar", avaliou. Para Roberto Lima, presidente da Natura, as empresas têm ainda que rediscutir alguns conceitos. Ele mencionou o tema da terceirização das atividades-fim. "Sempre concebemos a terceirização como uma coisa que servia para atividades acessórias, mas existe a Apple, que terceiriza a produção e não terceiriza o pessoal de loja porque entende que isso é essencial", comentou. Para ele, qualquer que seja o novo quadro legal, ele tende a não ser definitivo, já que as relações de trabalho devem sempre evoluir.

MUDANÇAS NA ÓRBITA DA TERRA LEVARAM PRIMEIROS HUMANOS PARA FORA DA ÁFRICA
Depois de sua origem no leste da África há cerca de 200 mil anos, o Homo sapiens saiu do continente e se espalhou pela Europa e pela Ásia em quatro grandes ondas migratórias distintas, pelo Oriente Médio, de acordo com um novo estudo publicado nesta quarta-feira, na revista Nature. Os autores também concluíram que os movimentos migratórios coincidem com períodos de mudanças climáticas causadas por variações na órbita da Terra. A pesquisa, liderada por Axel Timmermann e Tobias Friedrich, da Universidade do Havaí (Estados Unidos), foi realizada com base no estudo de evidências fósseis e genéticas. O estudo também concluiu que os humanos chegaram simultaneamente ao sul da Europa e ao sul da China, há cerca de 85 mil anos. Segundo os cientistas, as migrações ocorreram pela Península Arábica e pela região do Levante (Síria, Jordânia, Palestina e Sinai) em quatro ondas, nos intervalos de 106 mil a 94 mil anos, de 89 mil a 73 mil anos, de 59 mil a 47 mil anos e de 45 mil a 29 mil anos atrás. Estudos anteriores já previam que mudanças climáticas causadas por variações da órbita da Terra, durante o Pleistoceno Superior (de 26 mil a 11,5 mil anos atrás), teriam influenciado o momento de dispersão do Homo sapiens fora da África. No entanto, segundo os autores do novo estudo, a hipótese não havia sido confirmada porque os dados paleoambientais disponíveis em regiões chave eram esparsos demais e porque havia incertezas nas simulações climáticas e na datação de fósseis e registros arqueológicos. Timmermann e Friedrich construíram então um modelo matemático que quantifica os efeitos de antigas mudanças no clima, das alterações no nível dos oceanos e dos padrões globais de migração humana nos últimos 125 mil anos. O modelo conseguiu identificar as quatro consideráveis ondas de migração ligadas às glaciações, passando pela Península Arábica e pela região do Levante. Os resultados, segundo os autores, é coerente com os dados arqueológicos e de registros fósseis. Neanderthal. Peter Demenocal, da Universidade Columbia (Estados Unidos) e Chris Stringer, do Museu de História Natural de Londres (Reino Unido) publicaram, também na edição desta quarta daNature, um artigo que comenta o novo estudo. Segundo eles, a conclusão de que o sul da Europa teve uma onda de ocupação humana de baixa densidade há mais de 80 mil anos é a mais evidente discrepância entre os resultados de Timmermann e Friedrich e as evidências fósseis e arqueológicas mais aceitas, que apontam para a chegada do homem moderno à região há apenas 45 mil anos. "Os autores sugerem, porém, que esses pioneiros da Europa teriam sido assimilados pelas populações do homem de Neanderthal, bem mais numerosas", escreveram Stringer e Demenocal.

WIKIPÉDIA LANÇA APLICATIVO COM 50 MIL ARTIGOS SOBRE MEDICINA EM PORTUGUÊS
Quem nunca pesquisou uma dúvida de saúde ou mesmo perguntou ao Doutor Google se aquela “coceirinha” é normal que atire a primeira pedra. Na última semana, os brasileiros ganharam mais uma fonte de informação médica: a Wikipédia lançou o Wikipédia Médica, aplicativo para o sistema operacional Android.  O programa reúne cerca de 50 mil artigos sobre medicina, totalmente em português, traduzidos pela comunidade brasileira e portuguesa de editores da Wikipédia. Disponível na loja de aplicativos do Google, o app funciona mesmo quando o usuário não estiver conectado à internet, e reúne informações de áreas como cardiologia, pediatria e ortopedia, por exemplo. “Todas as pessoas merecem ter acesso a conteúdo sobre saúde de qualidade em suas línguas”, explica James Heilman, médico e líder do projeto Wiki Project Med, responsável pelo Wikipédia Médica, que já possui versões em línguas como inglês, chinês e árabe. Em sua interface, é possível pesquisar artigos ou navegar através das sugestões do aplicativo – muito parecido com a experiência da Wikipédia na internet. A Wikipédia, porém, adverte que o app não deve substituir especialistas em saúde.  

CINEMA NO BLOG

A GALOPE (2012)
Au Galop 

FICHA TÉCNICA
Outros Títulos:
Tu amor, mi perdición (Argentina, Chile) 
In a rush (USA, UK) 
Pais:
França
Gênero:
Comédia
Direção:
Louis-Do de Lencquesaing
Roteiro:
Louis-Do de Lencquesaing
Produção:
Gaëlle Bayssière, Didier Creste
Design Produção:
Antoine Platteau
Música Original:
Emmanuel Deruty
Fotografia:
Jean-René Duveau
Edição:
Marion Monnier
Maquiagem:
Laure Talazac, Laetitia Hillion, Olivier Afonso
Efeitos Sonoros:
Vincent Vatoux, Daniel Sobrino
Efeitos Visuais:
Frederik Bois

ELENCO
Louis-Do de Lencquesaing
Paul Bastherlain
Valentina Cervi
Ada Savigné
Marthe Keller
Mina
Alice de Lencquesaing
Camille Bastherlain
Xavier Beauvois
François
Laurent Capelluto
Christian
Emola Romo-Renoir
Zoé
Ralph Amoussou
Louis
Bernard Verley
BonP
Denis Podalydès
Editor de Livros
André Marcon
Consultor financeiro
George Aguilar
Motorista de taxi
Odil Gerfaut
Fisioterapeuta
Jeanne La Fonta
Cantora
Emeline Bayart
Funcionária da Agência
Laurentine Milebo
Enfermeira
Bernadette Le Saché
Farmacêutica
Caroline de Salaberry
Colega de Ada
Léonie Rapp
Filha mais nova de François
Adèle Vernet
Filha mais velha de François
Gaëlle Bayssière
Mulher na festa de Ada
Stéphane Touitou
Preparador Louis
Toma Baqueni
Funcionário do Depósito de Livros
Irina Vavilova
Governanta

INDICAÇÕES
Prêmios César - Academia das Artes do Cinema, França:
César de Melhor Revelação Feminina (Alice de Lencquesaing)

VIDEOCLIPES


SINOPSE
Ada Savigné é uma bela mulher de trinta e poucos anos que trabalha numa editora de livros. Casada e com uma filha de quatro anos, Zoé, ela acredita ser uma pessoa feliz apesar dos problemas domésticos. Certo dia, chega à editora o escritor Paul Bastherlain à procura de seu último livro, “Um Último Amor”, uma vez que já tem agendada sua tarde de autógrafos. A pedido do patrão, Ada vai até o prédio do depósito da empresa, a fim de pegar alguns exemplares do livro, ocasião em que Paul pede para acompanhá-la. No automóvel que os leva até o depósito, Paul sente-se fortemente atraído pela jovem mulher e nota que ela não se mostra inteiramente indiferente à sua presença. Tal sentimento se mostra ainda mais forte quando, na volta, ao se despedirem, ela o convida para a festa de seu aniversário, dois dias depois. Paul vive em companhia de sua filha Camille, uma jovem de 21 anos que, por coincidência, trabalha como babá da filha de Ada. Ele chega a comentar com a filha que conheceu sua patroa e que a mesma trabalha para seu editor. Conforme prometido, Paul comparece ao aniversário de Ada. No encontro de comemoração, a pequena Zoé comenta que Camille está apaixonada e que seus pais vão se casar. Ada admite para Paul que, embora o ame, não consegue se ver longe do pai de sua filha. Em seguida, ao receber um telefonema comunicando a morte de seu pai, Paul chora e se despede. Na saída, Ada o beija e lhe diz que se verão dias depois na Feira do Livro de Brive-la-Gaillarde. No dia da abertura da Feira, Paul chega de trem à Brive-la-Gaillarde, na região de Limousin e, conforme combinado, encontra-se com Ada. À noite, depois de jantarem juntos, eles fazem amor no hotel em que se acham hospedados, ocasião em que ela lhe confessa que seu sonho é o de ter muitos filhos. No dia seguinte, Paul dá autógrafos durante o lançamento de seu novo livro. Ao voltar de Brive-la-Gaillarde, Paul telefona para seu irmão François a respeito do funeral do pai, ocasião em que toma conhecimento que a família está com sérios problemas financeiros. Sua filha Camille apresenta-lhe seu namorado, Louis, e comenta que passou pela casa de sua avó, Mina, em companhia de sua mãe. Depois do sepultamento do pai, Paul se encontra com Ada, ocasião em que combinam se ver secretamente, duas vezes por semana, no estúdio vazio de sua mãe. Num desses encontros, Ada comenta que tem sofrido bastante por amá-lo demais e por não conseguir viver longe de Christian e de sua filha. Ao  final do mesmo, ela lhe diz que, embora seja muito difícil, acha que não deve continuar com essa vida dupla. Resignado, Paul afirma que entende perfeitamente a situação dela e os dois se despedem. Numa reunião com o consultor financeiro da família, Paul e François tomam conhecimento de que seu pai, para manter seu estilo de vida, se afundou em dívidas. Dois anos antes de sua morte, desesperado, arriscou tudo o que tinha na Bolsa de Valores, tendo um prejuízo de cerca de 80%. Agora, para pagar os impostos devidos à herança, a família vai precisar dispor de € 162.000, o que implica na necessidade de vender o apartamento da mãe. Ainda segundo o consultor, eles possuem dois outros imóveis que, infelizmente, não atendem às necessidades financeiras da família: o primeiro, localizado em Lille, não os tem como principais beneficiários, e sim seus primos, contrários à ideia; o segundo é uma casa, em Saint-Nom, com um grande terreno mas sem valor imobiliário. Dois meses se passam até que Paul recebe um e-mail de Ada dizendo-lhe que precisa vê-lo. Ao se reencontrarem, os dois se amam e ela o informa que se acha grávida. Paul sofre uma torção no pé e Ada o leva ao hospital. Lá, encontram Camille que se acha na condição de acompanhante de Louis, também hospitalizado. Quando Mina chega para ver o filho, Camille a apresenta à Ada. Mina tem uma ótima impressão dela e comenta com Paul que ficaria muito contente se ele viesse a se casar com aquela bela mulher, mas Camille diz à avó que Ada já é casada. Ao voltar para casa, Ada tem uma forte discussão com o marido sobre o filho que está esperando. Ela procura, então, Paul, a quem diz que o marido saiu de casa com Zoé, sem dizer uma palavra, e comenta que chegou a comprar material para fazerem exames de DNA, exames esses segundo ela dispensáveis porque toda mulher sabe quem é o pai do filho do qual se acha grávida. Exausta, Ada adormece. Enquanto isso, Paul senta-se em sua mesa de trabalho e passa a escrever até o momento em que Camille chega. Os dois decidem, então, ir até a casa da família em Saint-Nom, na esperança de encontrarem Mina, agora sofrendo com problemas ligados à perda de memória. Uma vez lá, Camille a encontra a caminhar sozinha por entre a vegetação do enorme terreno e a trazem de volta. Antes de chegarem, no entanto, Ada acorda e encontra os escritos de Paul sobre sua escrivaninha, chamando sua atenção para um trecho em que ele dizia: “Uma criança galopava em um cavalo negro gritando que seu nome era Ferdinand...”. Depois de deixar um bilhete para Paul, ela vai embora sozinha. Por outro lado, ao chegar de Saint-Nom, o escritor encontra o tal bilhete, que diz: “Dê um pouco de tempo para Ferdinand e para mim. Eu te amo. Ada”.

COMENTÁRIOS
‘’A Galope’’ é uma boa comédia do cinema francês. Lançada em outubro de 2012, sua trama fala de uma melancolia moderna, ao dissecar com uma elegante profundidade a vida de personagens cheios de problemas, embora gozem de situações socialmente confortáveis. Ela procura mostrar os sentimentos os mais simples face ao sofrimento, o amor, a paternidade. Nós, espectadores, temos a oportunidade de nos deleitar com diálogos que vão ao essencial da vida social e familiar. Escrita e dirigida pelo cineasta parisiense Louis-Do de Lencquesaing, que também faz o papel de Paul, a trama conta ainda com a presença radiante de Marthe Keller, da bela atriz italiana Valentina Cervi e de Alice de Lencquesaing. Esta última, que faz o papel de Camille, filha de Paul, é também, na vida real, filha de Loui-Do. Por seu trabalho nesse filme, Alice foi agraciada com o prêmio César de Melhor Revelação Feminina.


por Carlos Augusto de Araújo

TURISMO NO BLOG

PRAIAS DE PERNAMBUCO OFERECEM ACESSIBILIDADE A VISITANTES 

Porto de Galinhas é uma das cinco praias pernambucanas que oferecem cadeiras anfíbias aos banhistas locais e turistas. O aparato permite que pessoas em cadeiras de roda aproveitem um banho de mar. Além disso, o local conta com monitores treinados, rampa de acesso e esteira na areia da praia, que facilitam a vida de cadeirantes, idosos e pessoas com mobilidade reduzida, por exemplo.
O programa de acessibilidade desenvolvido pela Empresa de Turismo de Pernambuco (Empetur), com parceiros, também oferece banho assistido em Boa Viagem, Candeias, Tamandaré e Fernando de Noronha. Em três anos, 7 mil banhistas já desfrutaram do serviço.
Quando desembarcou em Recife (PE), no último sábado (17), a bordo de sua cadeira de rodas, a empresária Carmem Lúcia de Almeida, de Valparaiso (GO), já tinha programação definida para os dias de descanso em Porto de Galinhas.
A goiana sofreu um acidente vascular cerebral há três anos, quando conheceu o respectivo destino turístico. Entre as programações escolhidas está o luau da ONG Rodas da Liberdade, que promete muita diversão, comida, bebida e atrações culturais.
“Venho duas vezes por ano. Sou bem recebida e aproveito o mar como eu fazia antes de ter o AVC”, afirma Carmem, que viaja na companhia do marido, Luiz Andrade.
DIA MUNDIAL DO TURISMO
No dia 27 de setembro, o Ministério do Turismo (MTur) iniciou a campanha que tem como tema “Turismo para todos”. A ação marcou o dia Mundial do Turismo.


Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério do Turismo